• realezamultimarcas

Evite esses golpes na compra de carros usados

Seria inocência pensar que algumas pessoas não são enganadas ao comprar um carro usado. Abaixo estão alguns dos golpes mais sérios e comuns que acontecem por aí, e como se proteger.


CLONE

Também conhecido dublê, este golpe é muito recorrente e consiste na cópia de outro veículo, da mesma marca, realizando procedimentos que visam clonar o veículo em questão. Normalmente a intenção dos bandidos é burlar as leis de trânsito, utilizando assim, um carro similar ou documentos falsos.


GOLPE DO FALSO COMPRADOR

A falcatrua é aplicada em pessoas ou lojas que estão vendendo seus veículos e podem ser vítimas de bandidos disfarçados de compradores, que, ao perceberem a placa de “Vende-se” ou o anúncio, entram em contato com o vendedor, marcam hora para vê-lo ou experimentá-lo.

Os meliantes solicitam que o dono empreste as chaves para dar uma voltinha e... Adeus! Rodam por horas, levando o veículo para o Paraguai, para um desmanche ou para uma oficina, onde o carro é clonado e transformado em carro clonado.


ADULTERAÇÃO DE QUILOMETRAGEM

O golpe da quilometragem adulterada no hodômetro, circula com frequência nas revendas de seminovos. Apesar de que os carros modernos, hoje, são menos suscetíveis, qualquer veículo está sujeito a esse tipo de fraude.

Descobrir se o hodômetro do usado foi alterado é relativamente simples. Desgaste acentuado no acabamento, revestimento de bancos e pneus gastos, podem indicar que a baixa quilometragem é enganosa. Além do mais, itens como pedais e volante não costumam estar deteriorados em carros pouco rodados, então se o desgaste for visível, fique ligado.

Outro aspecto que deve ser considerado é que um jogo de pneus originais pode rodar cerca de 50 mil quilômetros antes de pedir substituição. Se o veículo tiver baixa quilometragem, mas os pneus foram trocados, vale a pena investigar.

FACHADA FALSA

Um golpe muito aplicado, em que os meliantes fazem fotos da fachada de uma loja, ou revendedora de veículos, e alteram o telefone da fachada em um programa de edição de imagens. O número permanece sendo um número de telefone fixo e quando o interessado no veículo liga, o processo é bastante profissional, com secretária e transferências de ramal. E assim não gera desconfiança.

Os bandidos anunciam o carro que aparece na fachada da loja e quando o interessado entra em contato, solicitam um “sinal” ou até o pagamento total, também em conta de terceiros. Por fim, quando o comprador vai buscar ou ver o carro na loja, percebe que foi vítima de um golpe.

Procure sempre pesquisar as imagens da loja no Google Maps e fazer a conferência, jamais faça depósitos de valores parciais ou integrais por telefone e muito menos na conta de terceiros.


16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo